Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

#EsteOutroMundo

#EsteOutroMundo

Aquii , longe, digo o que espero.

Digo o que choro, digo o que quero, o que espero... Falo por momentos de tudo o que falhou e de tudo o que ajudou.

Passo a passo e sem hora marcada mas um tanto ao quanto nervosa folhei-o as memórias, lembro-me de tudo: digo o que lembro, digo o que sonho, o que espero...Falo por momentos de tudo o que acertei e de tudo o que errei.

Faço de conta que sou criança e salto para os baloiços no parque infantil da minha memória, onde se alojam o bichinho do nervosismo e a joaninha do passado. Digo o que fiz, digo o que imagino, digo o que espero...Falo, por momentos, de tudo o que ouvi e de tudo o que disse. Desses passos À beira mar, com confissões nas gotas de água, com sorrisos na espuma branca do mar,  com olhares a envolverem-se entre as ondas que me banham os pés, tenho a memória repleta e a areia branca da praia deserta das manhãs de Verão compeltam o meu olhar  agora centrado em tudo o que aprendi.Por isso, digo o que aprendi, digo o que esqueci, digo o que espero.

Confesso que quero um abraço, um beijo de despedida. Confesso que a melhor e inultrapassavél surpresa seria uma visita, confesso que por trás de um sorriso brilhante, caiem lágrimas de desespero, tão salgadas como o mar, pelo que se torna amargo ver-vos apartir, quando sou eu que estou em movimento-pleno movimento.

Digo o que choro, digo o que quero, digo o que espero... Falo por momentos de tudo o que ficou por dizer e de tudo o que não devia ter dito. Penso que ainda não sei o que são erros a sério, e que as confirmações que tenho e de coisas paupáveis. A cada esquina está um futuro diferente, inesperado, surpreendente e eu não falo do que esqueci, mas sorrio ao que recordo, nesse passado tão remoto.

Aqui, longe, (mas perto), no sítio onde espero o comboio da mudança, justifico porque choro, confesso o que sonho, anseio um abraço, sonho com o regresso. Aqui, longe, digo o que espero.

  

Canto esperança, trauteio o passado, são magia, encanto, brilho, sorriso, orgulho!

Cada olhar, cada gesto, cara suspiro, raio de sol, são seus... não fazem parte de mim, constroem-me!

São tudo!

-Olha, vês? O mar apaga as pegadas!

-Olha, vês? O mar apaga as pegadas! - Disse-lhe eu apontando para as ondas leves que lavavam o chão de areia que nos rodeava. 

- Mas para onde as leva ele?- Questionou-me inocentemente. Na verdade era tanta a inocência que tinha como a quantidade enorme de tantos grãos de areia que ja tinham sidos pisados naquele dia.

-Não sei... Talvez as sereias as venham buscar e as guardem num baú como se fosse um tesouro, para recordação.

-O que são recúdações?

-Recordações são memórias, são coisas de que tu te lebras, quer boas, quer más...

-E as nossas pegadas que as sereias guardam são recúdações boas?

-Sim, claro que são recordações boas!

   E fomos andando à beira mar partilhando palavras silenciosas e apanhando as conchas que tinham sido deixadas na areia naquela manhã. De repente, ela parou e puxou-me a túnica de praia.

-Sim? Que foi?-Disse-lhe, esforçando-me para olhar para baixo. Ela apontou-me para o horizonte, para o maravilhoso movimento das ondas que as fazia rebentarem saltando uns pinguinhos minúsculos e brilhantes por todo o lado, depois apontei-lhe para o céu...

-Ahum... o mar e o céu...eles ali à frente tocam-se?-perguntou, mais uma vez.

   Eu olhei em frente, na direcção em que ela tinha apontado.

-Será que tocam?-Indaguei-a com os olhos mais brilhantes que duas estrelas. A ideia agradou às duas...

    Passaram-se horas. A bandeira vermelha esvoassava ao vento e a praia estava já praticamente vazia. Estava a anoitecer, o sol caia sobre o mar, como se aquela ideia fosse realmente realidade. De repente ela levantou-se de onde estávamos sentadas e correu em direcção ao mar.

-Hey! Onde Vais?- Indaguei assustada com a velocidade a que ia

-Vou ao mar!-Gritou-me lá de longe...tão rápido que tinha corrido.

-Mas não podes! Está bandeira vermelha, e tu não sabes nadar!

-Mas eu quero ir  salvar o Sol! Ele vai afogar-se, porque está bandeira vermelha, ele está a cair no mar e o dia vai acabar e eu não quero que o dia acabe!

   Calei-me e corri na direcção dela. Ajoelhei-me olhei para ela e abracei-a com tanta força quanto a das ondas do mar. Ela podia nao salvar o sol de se afogar naquele dia, mas tinha salvo aquele fim de  tarde.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

  • Confesso.

    18 Setembro, 2023

    Deixaste-me ir. Talvez achasses que eu ficava e que esperava. Talvez achasses que sempre (...)

  • O dia depois de amanhã.

    14 Maio, 2019

    Eles acham que sabem. Eles devem pensar que basta olhar para saber. Mas eles não sabem: não (...)

  • Sem querer, querendo.

    20 Fevereiro, 2019

    Um dia descobri-te.   Não sei se sempre tinhas estado por ali e eu andava cega ou se naquele (...)

  • Gostar de ti

    15 Janeiro, 2019

    É fácil gostar de ti.  É fácil gostar do brilho que me trazes, da energia que me dás, (...)

  • E então fui...

    02 Junho, 2015

    Eu queria que o mundo parasse. Queria que o mundo te guardasse, ficasse em pausa no momento em (...)

Partilha[-me]

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D