Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

#EsteOutroMundo

#EsteOutroMundo

Falar de nós.

Para todos os efeitos, sempre me apaixonei fácil, sempre entreguei tudo de mim, apesar de não me entregar facilmente. Mas desta forma nunca me tinha acontecido. 

 

Apareceu do nada, como quando o vento muda de direção e eu, que tinha tudo tão (re)definido na minha cabeça, vacilei. 

Apareceu como uma lufada de ar fresco, como uma luz ofuscante ao fundo de um túnel escuro como breu, que eu percorria há tempo de mais e não conseguia sair por nada. Apareceu como uma madrugada de primavera, quando finalmente, está a ser anunciada a chegada do verão. Chegou e levou tudo à frente, trouxe-me tudo o que faltava. Trouxe-me o sorriso sincero, o riso aberto e verdadeiro, trouxe-me o tremer interior e o nervoso apaixonado. Trouxe-me o medo de acabar antes do suposto. E já não consigo perceber o significado das coisas se a presença não for uma realidade e se a ausência estiver tão presente como o meu sorriso. 

Veio não sei de onde, não sei como, não sei porquê. Mas sei o quando...e o quanto bem me fez - e faz!

 

Trouxe-me o sentido de orientação que há tanto tempo não tinha, e que não sei se quero perder (e apesar de me orientar tanto, nunca me senti tão desorientada). E não sei se foi ele que chegou, se fui eu que fui. Às vezes acho que fomos os dois, mas depois sinto-o que a puxar-me de onde eu estou. Às vezes acho que fomos os dois, mas depois olho e apercebo-me de que andava à sua procura. Às vezes acho que fui eu, mas sinto que foi ele que me encontrou onde quer que eu estivesse encostada. Às vezes acho que foi ele, mas depois parece que era tanto o que eu precisava que era impossível tudo isto existir, se não fosse eu a precisar. Às vezes acho que não foi ninguém... ninguém cá em baixo, pelo menos.   

E veio não sei como, não sei porquê... Não sei porquê só agora - e logo agora!

 

E há muitos "não sei". Tantos "não sei"! Há muitos "se", muitos "ainda", há muitos "mas" e "porquê". Mas não mudava nada deste encontro inesperado e assolapado. E aconteceu tudo tão rápido! E é tudo tão bom! E faz-me tão bem! E mesmo com todas as dúvidas que sobrevoam, todas as incertezas, todo um horizonte em branco, sem ideia do que trarão os próximos ventos, se dependesse de mim para acontecer, eu estaria precisamente aqui, neste ponto, com ele.

E é tanta coisas que se quer dizer e as palavras calam-se. E é tudo tão inédito, invulgar, extraordinário... e é tudo tão irresoluto, tudo tão incerto! E eu, mesmo assim, gosto tanto!

 

E eu falo de nós sem respirar, para não interromper e com medo de pausar algo tão bom ou mesmo de usar um ponto final no que já trouxe tanto e está só no início. Falo de nós como uma criança que acabou de receber o presente que mais pediu; falo de nós como um atleta que acabou de alcançar uma medalha de ouro mundial; falo de nós com o entusiasmo de um ator que ganhou um Oscar. Falo de nós com a energia de 20 cafés, como se não houvesse tempo para dizer tudo o que se quer, mas tivesse todo o tempo do mundo para abraçar a paz e tranquilidade que me traz. Porque é assim que me sinto, com ELE: como se não houvesse tempo suficiente para compensar todo o tempo em que ele não esteve e não está, mas tivesse todo o tempo do mundo para viver este "nós" tão único, tão de repente, tão estranhamente bom.

 

E são tantos sentimentos, tantas palavras, tanta rima, tanta fala, tanto silêncio, tanta vontade de fazer tudo... que, mesmo longe, o sinto perto; que mesmo separados, o sinto abraçar-me; que mesmo no escuro, o vejo. E o resto do mundo parece conspirar contra nós, mas os nossos mundos cruzaram-se como se o resto do Universo conspirasse a nosso favor.

 

E é tudo tão estranho. E parece que nada dá para exprimir o suficiente, que nada explica claramente tudo o que se passa. E parece que por mais que repita todas estas palavras, nada faz jus à nossa história.

E é tudo tão estranho, tão hipotético. E é tudo tão, tão, tão bom! 

Tão novo.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

  • "Amar é dar a alguém a paz que o mundo tira".

    03 Fevereiro, 2024

    Deixemo-nos de cenas : a vida e o mundo de hoje em dia são - inevitavelmente - stressantes. (...)

  • Gostar de ti

    15 Janeiro, 2019

    É fácil gostar de ti.  É fácil gostar do brilho que me trazes, da energia que me dás, (...)

  • Sob Azevinho

    10 Dezembro, 2017

    Sentia-se agora toda aquela agitação que refletia ansiedade da primeira vez. Desde de manhã (...)

  • Acontece

    29 Julho, 2015

    Era suposto ser só eu. Eu e as as minhas manias, as minhas manhas, os meus sonhos, as minhas (...)

  • [Im]perfeição

    23 Novembro, 2013

    "Foi perfeito", repetia: "perfeita a maneira como tudo aconteceu, como tudo correu", como ele (...)

Partilha[-me]

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D