Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

#EsteOutroMundo

#EsteOutroMundo

Ela apareceu.

"Ela é assim... Tem um ar de menina, pensamentos de moça e desejos de mulher. Não conhece o mundo como queria, mas vê o mundo como ninguém.

Ela quer algo real, mas não se esquece das estórias de encantar. Acredita no "viveram felizes para sempre", sonha com fadas e arco-íris e acredita no amor e acredita no cor-de-rosa. Não é ingénua, mas acredita no melhor do mundo, mesmo tendo noção do pior.

 

Ela vai sorrir com facilidade, vai emocionar-se com um vídeo simples, vai chorar no final de um livro e vai disfarçar com um comentário engraçado.

Ela não vai parar de sonhar só porque é (quase) impossível. Não vai deixar de acreditar só porque já falhou. Não vai deixar de sorrir só porque há coisas que não estão bem. Ela acredita em sorrir e no poder de um sorriso...

Ela acredita que tudo tem um lado positivo, por mais que pareça mal e em tirar o melhor dessa altura. Acredita na sorte e no azar, porque sem azar não há sorte... e ela tem tanta! Ela acredita pouco em coincidências: nem tudo acontece por acaso. Ela acredita no destino e em sinais. Ela acredita em pedir desejos às estrelas.

 

Ela exigirá sempre o teu máximo... não porque não esteja satisfeita, mas porque sabe do que és capaz e do quão feliz podes ficar quando chegares mais longe. Ela vai querer sempre mais: mais de ti, mais de vocês, mais do mundo, mais dela. Precisa disso. Mas, acima de tudo, mais amor e paz de espírito.

Ela nem sempre será uma princesa, mas podes acreditar que à tua frente será onde a verás mais perfeita e delicada.

Ela não é perfeita, nem nunca será, mas põe sempre o melhor dela em tudo que faz e faz o melhor que pode daquilo que lhe toca. 

 

E ela ama-te.

Ela ama-te sem perceber se é possível sentir mais do que o que sente por ti e surpreende-se a cada dia quando se apercebe que sim."

 

|| Abril de 2016.

Hoje

...bateu aquela saudade de ti. Senti falta das roupas que trocámos, das conversas que tínhamos, das aventuras que outrora partilhámos.

Na verdade, é comum pensar em ti e no que foste, é comum lembrar-me do que representaste e, principalmente, no que foi contigo quando te perdi. Sempre foste especial, e acho que sempre serás.

Acho que nunca recuperei de ti, e desta falta que me fazes. Acho que nunca recuperei da vida que tivemos, de tudo o que ela trouxe e de me ter abandonado, sozinha, aos acasos do destino. Talvez por isso, não tenha existido um outro alguém como tu... e, talvez o contacto fogaz com as memórias e com o mais próximo que tive de ti nos últimos tempos, tenham trazido isto à tona... Mas hoje, mais que ultimamente, bateu forte a saudade de quem não está.

Bateu mais forte esta saudade de ti. Tenho necessidade de ti.

Carta ao Pai Natal

Era suposto ir dormir... na verdade, tinha dito que em 5 minutos ia estar em Vale Lençóis perdida na escuridão da noite. Mas não resisti.

A inspiração não escolhe horas, suponho. Já sei que amanhã acordo cheia de sono, mas não resisti depois de todas aquelas mensagens de Natal, e fotografias de árvores de Natal coloridas que invadem as redes sociais neste momento a vir aqui deixar uma palavra... aliás, mais propriamente depois de uma publicação a dizer que hoje era dia de escrever a carta ao Pai Natal.

Vamos escrevê-la, então... Suponho que o meu velhinho de barbas brancas nesta altura já recebe mais e-mails que cartas... quem sabe não lerá blogs, também?

 

Querido Pai Natal,

Não fui uma menina bem comportada este ano. Aliás, não sei se algum dia o fui... A tua existência sempre me fez portar melhor, talvez (pelo menos quando começava a cheirar a frio. Mas, querido Pai Natal, os teus duendes incheridos devem-te ter contado todas as travessuras que fiz (e doçuras que comi).

Talvez não faça tudo o que deva ou como devo, sempre afirmei com todas as letras que não era perfeita - nem nunca quis ser. Mas também sempre me vi como realista - extremamente realista - e se há coisa que não sou é uma menina má comportada... Acho que sou a regra daquela expressão não sou uma santa, mas também não sou uma pecadora (mais uma daquelas expressões que sabe-se lá porquê soa tão melhor em inglês!).

No entanto, tal como qualquer comum mortal que se prese, vejo-me na obrigação de te escrever algumas palavras (garanto que não tenho a Síndrome de Peter Pan... ou terei?).

Não te peço brinquedos - não para mim, pelo menos. Não quero fazer-me de inocente e ser mais uma a pedir paz e harmonia para o Mundo inteiro. Se fosse assim tão fácil viveríamos uma Utupia e talvez existisse realmente um velhinho de barbas brancas e fato dourado (peço desculpa à marca de refrigerantes açucarados e energéticos que te vestiram de vermelho) que distribuísse prendinhas pelas crianças. Peço-te apenas energia. 

Foi um ano cheio de mudanças, um ano consideravelmente melhor que o anterior, mas cansativo e ao mesmo tempo em que estagnei. Acho que pela primeira vez não me sinto diferente ao fim de ano. Não foi um bom ano, um ano que mereça ser relembrado ou, se quer, um ano feliz. Mas foi um ano melhor. E por isso, peço-te energia.

Peço-te energia para mim, para poder aguentar todos os anos cansativos que vierem, para perceber essas mudanças e adaptar-me camaleonicamente a todas elas, como sempre fiz. Porque sou um camaleão autêntico. Mas não a peço só para mim: peço para todos os que são próximos de mim. Para que tal como eu aguentem o que essas mudanças lhe trouxerem. Para que tal como eu, se consigam adaptar a elas e estar aqui para assistir, festejar vitórias comigo, apoiar-me quando precisar. Peço energia para que consigam aguentar todas as minhas euforias e todos os meus maus-feitios. Para que possam brindar comigo, com um sorriso cansado na cara. Que possam chorar comigo, com uma energia que me anima automaticamente. 

Peço energia para poder receber abraços. Energia para sentir tudo o que ainda não senti. O que for bom e o que for mau.

Peço-te que me deixes ser feliz. Verdadeiramente, sorrir. 

Peço-te que me dês energia para conseguir lutar por isso, pelo meu sorriso e por quem realmente me faz sorrir.

 

E pronto querido Pai Natal, penso que é isto. 

Será que já perdi o jeito? Achas que é pedir de mais? 

Já sabes que não deixo bolachinhas e leite. Quanto muito uma caixa de chocolates que por lá esteja perdida.

 

Obrigada.

Free-Wallpaper-Christmas-Tree.jpg

[fonte imagem: http://marldonchristmastrees.co.uk/]

Um Passado Como Presente

(AINDA ESPERO)POR QUEM NÃO ESQUECI

  Foste Tudo, sim...chegaste a ser O mais importante, chegaste a ser Tudo e sabia-lo. Agora és mais que uma recordação, deixaste mais que uma marca, deixaste mais que um lugar, e conquistaste mais que uma parte de mim: mais do que uma memória, mais que um pedacinho do meu coração. Pintas-te a minha vida de cor-de-rosa, deixaste-me pintar uma parte da tua, quebraste promessas e inventaste palavras por e para mim!

   Sabes que houve aquele pedaço, aquele pedaço despedaçado do teu coração que se juntou ao do meu e ficou perdido nas linhas de comboio. Suspeito que fecharam o terminal para com a velocidade dos comboios tudo o que ali ficou guardado, -não enterrado,- não voasse...Tu sabes de tudo, conheces-me melhor que ninguém e foste único. Passem dias, passem semanas, meses, anos... serás sempre mais do que um tu, mais do que alguém...Serás sempre quem mais me inspirou, quem me fez chorar de alegria, quem me viu a chorar, quem me viu como realmente sou...serás sempre quem me apaixonou pelas músicas pelo seu significado.

   A tua importância presente perdeu-se em segundos aos biliões que passaram, pois os relógios deviam te rparado, mas o tempo contou sempre, mas a tua importÂncia passada não está guardaada no meu coração ou na minha memória, mas sim no que eu sou hoje.

   Sinto frio... sinto frio por causa do vazio que deixaste quando saiste da minha vida vazio esse onde pairo imóvel; não sou tão grande como fui, deixo espaços em branco que em tempos serias tu que completavas. Tenho um futuro para alcançar, mas como luz que eras já não eluminas o que iluminavas e eu não sei como lá vou chegar...o caminho será diferente. Sei que fará mais frio lá, porque o tempo vai passando, a tua presença passa... embora continues especial, e cicatriz que deixaste permaneça em mim enquanto tiver memória, corpo, alma e coração. 

 

   Até que os Xutos parem de tocar...até onde as linhas do comboio forem, até o silêncio começar a fazer barulho! Sabes até onde eu posso ir sem ti, sabes até onde podes ir sem mim. Dizem que o fruto proibido é sempre o mais apetecido, mas tu não foste proibido, foste-me impedido, e eu toquei-te, testei-te e os desejos cresceram...ainda hoje tenho vontade de te dar um abraço grande e apertado, aida hoje tenho saudades tuas, ainda hoje te sinto no mesmo lugar que tinhas, mas sei que apenas o teu fantasma lá está ...colorindo a minha sombra.  Hoje, não me dói a tua ausência, dói-me saberes que estiveste lá e que não estás no mesmo sítio. Hoje, ainda procuro por quem não esqueci, por quem já não volta, por quem eu perdi... procuro e peço à noite um sinal de ti. 

 

 

Aquii , longe, digo o que espero.

Digo o que choro, digo o que quero, o que espero... Falo por momentos de tudo o que falhou e de tudo o que ajudou.

Passo a passo e sem hora marcada mas um tanto ao quanto nervosa folhei-o as memórias, lembro-me de tudo: digo o que lembro, digo o que sonho, o que espero...Falo por momentos de tudo o que acertei e de tudo o que errei.

Faço de conta que sou criança e salto para os baloiços no parque infantil da minha memória, onde se alojam o bichinho do nervosismo e a joaninha do passado. Digo o que fiz, digo o que imagino, digo o que espero...Falo, por momentos, de tudo o que ouvi e de tudo o que disse. Desses passos À beira mar, com confissões nas gotas de água, com sorrisos na espuma branca do mar,  com olhares a envolverem-se entre as ondas que me banham os pés, tenho a memória repleta e a areia branca da praia deserta das manhãs de Verão compeltam o meu olhar  agora centrado em tudo o que aprendi.Por isso, digo o que aprendi, digo o que esqueci, digo o que espero.

Confesso que quero um abraço, um beijo de despedida. Confesso que a melhor e inultrapassavél surpresa seria uma visita, confesso que por trás de um sorriso brilhante, caiem lágrimas de desespero, tão salgadas como o mar, pelo que se torna amargo ver-vos apartir, quando sou eu que estou em movimento-pleno movimento.

Digo o que choro, digo o que quero, digo o que espero... Falo por momentos de tudo o que ficou por dizer e de tudo o que não devia ter dito. Penso que ainda não sei o que são erros a sério, e que as confirmações que tenho e de coisas paupáveis. A cada esquina está um futuro diferente, inesperado, surpreendente e eu não falo do que esqueci, mas sorrio ao que recordo, nesse passado tão remoto.

Aqui, longe, (mas perto), no sítio onde espero o comboio da mudança, justifico porque choro, confesso o que sonho, anseio um abraço, sonho com o regresso. Aqui, longe, digo o que espero.

  

Canto esperança, trauteio o passado, são magia, encanto, brilho, sorriso, orgulho!

Cada olhar, cada gesto, cara suspiro, raio de sol, são seus... não fazem parte de mim, constroem-me!

São tudo!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

  • Ilusionista.

    25 Fevereiro, 2024

    Fui eu! Claro que a culpada fui eu!    A culpada fui eu porque acreditei em tudo aquilo que (...)

  • "Amar é dar a alguém a paz que o mundo tira".

    03 Fevereiro, 2024

    Deixemo-nos de cenas : a vida e o mundo de hoje em dia são - inevitavelmente - stressantes. (...)

  • Gostar de ti

    15 Janeiro, 2019

    É fácil gostar de ti.  É fácil gostar do brilho que me trazes, da energia que me dás, (...)

  • Acontece

    29 Julho, 2015

    Era suposto ser só eu. Eu e as as minhas manias, as minhas manhas, os meus sonhos, as minhas (...)

  • [Im]perfeição

    23 Novembro, 2013

    "Foi perfeito", repetia: "perfeita a maneira como tudo aconteceu, como tudo correu", como ele (...)

Partilha[-me]

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D